O Blues Bar foi destaque em uma postagem no blog “Combate Rock” no site do jornal Estadão.

O post foi escrito pelo jornalista Marcelo Moreira, que visitou o Blues Bar no carnaval e ficou encantado com o que viu.

Confira a matéria na íntegra.

Um blues improvável no carnaval bem no meio da montanha

O lugar é o mais improvável possível. A rua principal da pequenina cidade de São Bento do Sapucaí, no interior de São Paulo (200 km da capital), encravada entre Campos do Jordão e o sul de Minas Gerais, é dominado há quase 80 anos por um carnaval de rua típico do interior, ainda com certa dose de tranquilidade e ingenuidade, com leve acento familiar.

Mas eis que em uma rua paralela, numa esquina como outras tantas de uma cidade pequena do interior, bem em frente à Câmara Municipal, um casarão simples, mas muito bem cuidado, se transforma a partir das 22h, todos os dias, mas especialmente em dias de carnaval, em um bar que está prestes a completar 20 anos de existência.
O Blues Bar é uma ilha de excelência e bom gosto em uma época em que o mundo fica impregnado de mau gosto e de lixo musical de todos os tipos, ainda que respeitemos os blocos de carnaval e de cultura popular tão cuidadosamente preparados pelos moradores de São Bento. O fato é que o bar revigora e desintoxica de toda porcaria que paira no ar e no mundo durante o carnaval.

O blues e o classic rock predominam, seja com músicos convidados ou contratados especialmente para ocasião, seja com o proprietário Carlinhos Goulart, muito bom violonista e um correto cantor no formato acústico. Entre uma cerveja e outra, e uma porção e outra que sai da ágil cozinha, ele manda versões de Creedence Clearwater Revival, Janis Joplin, Doors, Jimi Hendrix, Beatles, Rolling Stones, Neil Young, Rita Lee e muitos outros.

Nada de luxo, nada de preciocismo, nada de formalidades. É um bar de amigos e de gente conhecida, com alguns poucos turistas desavisados que não creem que que é possível ouvir uma música obscura dos Stones bem tocada em plena cidade esquecida no meio de vales verdes entre Minas e o Vale do Paraíba. Um lugar ideal para a desintoxicação de todo o veneno lançado no ar no período de carnaval.

Na segunda de carnaval deste ano, mais uma vez o bom gosto foi a tônica do ambiente familiar, com músicas de todas as gerações do rock sendo executadas. Até mesmo algumas pérolas do grunge ficam mais ou menos audíveis no formato acústico tendo um bom instrumentista.

A improbabilidade do lugar é tanta que jamais alguém poderia imaginar que o Blues Bar dedicaria uma noite de carnaval a um set de blues dedicado a gênios como Stevie Ray Vaughan, Rory Gallagher, Muddy Waters, Albert King, Johnny Winter, entre outros. Foi há quatro anos, obra de um fantástico violeiro e gaitista de Taubaté, cujo nome se perdeu na memória.

O local, com apenas dez mesas, teve fila de espera por mais de duas horas e o artista da noite atraiu espectadores de Campos do Jordão, Pouso Alegre, Santo Antonio do Pianhal, Taubaté e arredores, sendo que parte do público era formada por estrangeiros que faziam trabalhos temporários no Vale do Paraíba. O que mais um roqueiro de bom gosto poderia querer em pleno horror das trevas carnavalescas?

Fonte: Combate Rock – Estadão.com.br

Share